Arquivo diário 31 de outubro de 2011

Colégio Nogueira da Gama

Category: Cantos e Recantos Comments: 4 comentários

Athenas Paulista era o cognome de nossa cidade em reconhecimento ao nosso progresso educacional e cultural, decorrência do renomado Colégio Nogueira da Gama, fundado pelo educador Lamartine Delamare Nogueira da Gama, cuja vocação foi herdada de seu pai que fundou escolas em Minas Gerais e Rio de Janeiro. Em São Paulo, fundou o Externato Delamare, depois chamado Ginásio Paulista.

Deixando a capital, que já não oferecia um ambiente adequado aos ideais do educador, o Colégio foi fundado em 23 de julho de 1893 e instalado numa chácara próxima ao centro. Recebeu todos os requisitos indispensáveis para uma excelente educação: salas de aula, laboratórios, biblioteca, sala de música, farmácia, refeitório e jardins...

Leia Mais

A chegada da República

Category: História da Cidade Comments: Um comentário

A Proclamação da República veio atrelada à libertação dos escravos, mas as idéias republicanas que já vinham de muitos anos, por aqui também foram vividas, sendo o senador Joaquim Miguel Martins de Siqueira o responsável pela fundação do Clube Republicano.

   

Senador Joaquim Miguel de Siqueira

No célebre dia 15 de novembro, Jacareí vivia um dia comum, alheia aos notáveis acontecimentos que aconteciam nos bastidores políticos e militares. Somente no dia 17, em sessão extraordinária, a Câmara Municipal tomou conhecimento oficial da nova ordem, onde o Brasil deixou de ser uma monarquia e os nossos barões, que formavam a elite imperial, já não eram as principais figuras da sociedade...

Leia Mais

Jacareí e a Libertação dos Escravos

Category: História da Cidade Comments: Não há comentários

Nossa região sempre contou com uma significativa presença de escravos negros. Um testamento de 1695 é o mais antigo documento de Jacareí mencionando a existência daqueles elementos servis, declarados que eram entre os bens pessoais. O valor do negro escravo era alto, um grande investimento que demonstrava status social e econômico.

Não foi o café o motivo da introdução do escravo negro em Jacareí, porém a prioridade dada em seu cultivo intensificou a necessidade de novos braços para a lavoura. Deste modo, o comércio escravagista cresceu e Jacareí passou a ser o centro da região e do Estado.

Em 1851, os escravocratas locais participaram de um evento com repercussão internacional...

Leia Mais

A Cidade Luz

Category: História da Cidade Comments: Não há comentários

Quase ao final do século XIX, por volta de 1885, Jacareí era servida por 50 lampiões a querosene que atingiam o pequeno centro (Matriz, Rosário, Bom Sucesso, Rua Direita (Antonio Afonso), Largo da Quitanda e Rua das Flores (Luis Simon). Neste arcaico serviço de iluminação pública a cargo do Coronel Carlos Porto, era obrigatória a figura do vigilante que acendia os lampiões e era conhecido como o “homem da taquara”.

Em 1895, quando o intendente (prefeito) era o Dr. Lúcio Malta, com a presença do Presidente do Estado (Governador) Bernardino de Campos, Jacareí passou a utilizar energia elétrica na iluminação pública, sendo um dos primeiros municípios a fazer uso do serviço (1°. do Vale do Paraíba; 2°. do interior paulista e 7°. do Brasil).      

Usando usina te...

Leia Mais

Jacareí na Guerra do Paraguai

Category: História da Cidade Comments: Não há comentários

A Guerra do Paraguai (1864-1870) foi originada pelos desentendimentos em relação às fronteiras entre os países envolvidos (Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai), também quanto à liberdade de navegação nos rios platinos e como razão última a consolidação dos Estados nacionais na região.

Ao Vale do Paraíba interessava uma breve solução para o conflito que trazia problemas para a economia cafeeira e tornava-se um grande sorvedouro da mão-de-obra escrava. Os cafeicultores de Jacareí mobilizaram-se, tendo o Coronel Leitão contribuído financeiramente e assumindo a responsabilidade pelas despesas dos que fossem prejudicados ou inutilizados na Guerra.                                                               

João José de Jesus, o nosso Corn...

Leia Mais

A Transposição do Rio Paraíba

Category: História da Cidade Comments: Não há comentários

O Rio Paraíba até 1850 tinha outro traçado, passando pela atual Rua João José de Macedo onde existia uma primitiva ponte com pilares de pedra. O rio foi desviado aproximadamente 400 metros por obra do escravocrata João da Costa Gomes Leitão, sob os protestos do 1º. Barão de Jacareí, já que as águas do Paraíba passavam nos fundos de sua residência, local onde hoje está o INSS.

Imagem publicada no livro “Pelas Ruas da Cidade” de João Baptista Denis Netto, o Jobanito

O local onde ficava o rio deu origem a um lugar sempre encharcado e sujeito a inundações do Rio Paraíba e que ficou conhecido como “Esmaga Sapo” e que somente depois de muitos aterros pode ser usado para construções, como a Praça dos Três Poderes. 

Região do Esmaga Sapo, atual Praça dos Três Poderes

Leia Mais

A Revolta do Sal

Category: História da Cidade Comments: 4 comentários

Na época do Brasil colônia, a carestia do sal era muito grande: além de monopólio da Coroa Portuguesa, seu preço era exorbitante. Por volta de 1710, sabendo que depósitos na cidade de Santos estavam abarrotados daquele produto, o fazendeiro Bartholomeu Fernandes de Faria arregimentou uma tropa de mais de duzentos homens, entre agregados, índios e escravos, e partiu em direção àquela cidade. Lá convocou o Provedor da Fazenda Real que, assustado, consentiu no carregamento requerido. Apesar da coerção, o ato não se constituiu em roubo, pois foi pago um preço justo e o tributo correspondente.

Temendo a infantaria de Santos, Bartholomeu destruiu uma ponte em São Vicente para poder escapar. Entretanto, não saiu ileso, sendo posteriormente processado...

Leia Mais